quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Honoráveis esvaziam sessão na AL

Com a sessão esvaziada após a apresentação do requerimento do deputado Edivaldo Holanda, sobre a vergonhosa depredação do Sindicato dos Bancários, por agitadores pagos pelos pelo Palácio dos Leões.

O pedido de um requerimento de desagravo ao presidente do sindicato dos Bancários, que foi interpretado de forma hostil e intolerante, pela liderança do governo biõnico.
Para demostrar o exercício democrático pela intelerancia desse governo, o plenário da Assembléia não podendo agir da mesma forma dos honoráveis agitadores sarneysistas, se ausentaram em total desrespeito ao debate que é um exercício dessa Casa, por não terem agurmentos que comprovassem o contrário de tal vandalismo político.

Lobão não se importa com a audiencia na AL

Um mês após a vinda do ministro Lobão ao Maranhão, para a apresentação do painel sobre a Refinaria Premium, muita coisa mudou de lá para cá. Com o impedimento de sua vinda a Assembléia Legislativa em virtude do falecimento do deputado Pedro Veloso, uma nova data ficou de ser acertada.

O certo é que até agora, o ministro tem demostrado desintersse a essa Casa legislativa de prestar esclarecimentos sobre o “mega projeto”, que segundo a propaganda eleitoreira de Roseana Sarney, deverá colocar o Estado nos trilhos do desenvolvimento (estantaneamente).

Lobinho atrapalhado na TV Mirante

Quem assistiu a entrevista que o senador herdeiro, filho do ministro do apagão e da luz mais cara do Brasil na TV Mirante, não terá dúvidas quanto ao futuro do Maranhão. Esse Lobinho tem que disputar mesmo é uma vaga ao governo do Estado, se possível ao lado de Roseana Sarney, por em tudo se completam. A dupla de herdeiros atrapalhados, conseguirá destruir com as próprias mãos, tudo que os honoráveis pais, levaram anos para juntar.

Digitais de incopetencia no apagão nacional

Quem viu o senador “Magro velho” (nome dado a Lobão pelo grampo da PF) , dando explicações sobre o apagão ontém a noite, querendo explicar o enexplicável, notou que ele não é mais aquele Tigrão chamado pelo Sergio Gabriele, parecia mesmo era uma vareta desequilibrada, tremendo ao vento.Oh Dilma, essa alcatéia poderá comprometer sua eleição em 2010, se acontacer outro apagão!!!

De olho numa vaga

Vagas criadas para três novos desembargadores poderá mudar os rumos políticos no Maranhâo
A briga indigesta entre o governador de fato Ricardo Murad e Fernando Sarney, poderá fazer sobrar gente de peso da política ligadas ao clã.


O deputado Joaquim Haikel que é um defensor fiel do Sarney deveria ficar atento, também botar suas barbas de molho. Essa conversa que uma indicações para ocupar uma das vagas para desembargador será sua, tá parecendo balela.

Senao, vejamos:


Porque será que o Ricardo Murad já garantiu uma vaga para seu irmão também? E porque será que o Fernando Sarney quer tanto os votos das bases do Joaquim?
Deputado, para Fernando será um vale tudo, esse povo o senhor conhece bem, passam por cima de tudo e todos, para se dar bem. E ele, todos sabem que precisa de imunidade parlamentar, pois seu habeas-corpus, já está perdendo a validade. Deputado abra os olhos!!!

Marcelo Tavares e Edivaldo Holanda a qualidade que os governista não têm

O aproveitamento das sessões quando há debates que favorecem a população do Estado, está sendo constantemente desrespeitado. O presidente Marcelo Tavares , diz que é por causa do senador Sarney, que conduz a bancada governista num molde político do tempo da ditadura, conduz com mão de ferro, não favorece debates e opiniões divergentes.


É verdade, nunca se viu tanta intolerancia típicas dos regimes de xecessão. Aliás, estamos vivendo num Estado em que a governadora por ser biônica, que foi nomeada por quatro ministros, tem seu secretário de saúde sacrificando vidas, que não tem sensibilidade nem com os transplantados, o secretário de segurança ordenou a tolernacia zero(na bala), o que poderiamos esperar dos deputados da base governista?

Um comentário:

Mano disse...

esses deputados, com raras exceções, não passam de um bando de vagabundos que migram de um lado para outro conforme seus interesses, e os dígitos que caem nas suas contas bancárias patrocinados pelos governo.