quarta-feira, 9 de maio de 2012

O Grupo Sarney em constantes atritos...







O Grupo Sarney e seus constantes atritos...

Quem vive no centro nervoso do poder político maranhense, acaba fixando a ideia de que um imenso descontrole se aproxima do grupo dominante. A impressão que dá, é que o velho Sarney não deixará um substituto que domine seu espólio político.

Ainda, hoje, durante a sessão na Assembléia Legislativa, foi a vez do deputado Hemetério weba, sair pra cima do deputado Raimundo Cutrim, descascando coisas do fundo do baú, colocando em descrédito a sua atuação quando foi secretário de Segurança, desde o tempo da primeira CPI da pistolágem.

Após a sua fala, Hemetério Weba trancou-se em seu gabinete e ficou incomunicável, Cutrim por sua vez, tranquilamente conversava com a imprensa no final da sessão no plenário.

Quem deverá assumir o ônus das confusões, será o político que mais se assemelhou ao chefe maior, que transita bem na esfera federal, e, que, nunca escondeu o desejo de fincar-se no comando do executivo maranhense.

Para isso, Lobão terá que peitar o casal Roseana/Jorge e lançar para escanteio o municipalista Luís Fernando.

Mais brigas:

Pelo comando do legislativo, dificilmente Arnaldo Melo deixaria de se reeleger presidente, mesmo sabendo que terá de abrir caminho para Max Barros, que Roseana quer fazer governador, quando sair para o senado em 1014. A briga tá feia.

Já o deputado Rigo Teles estaria em Brasília, visitando os ‘amigos’ para tentar reverter o resultado de um julgamento que destituiu o seu pai, Manoel Mariano de Sousa, o Nenzim, da prefeitura de Barra do Corda, para colocar em seu lugar, o vice prefeito, Aristides Milhomem, que é irmão do deputado Carlos Alberto Milhomem, o Tatá, que é amicíssimo da governadora...

Briga pela SSP

O deputado que é ex-secretário de segurança, Raimundo Cutrim, que constantemente  faz duras  criticas ao atual  secretario de segurança, Aluísio Mendes, vem mostrando estatísticas, inclusive com os números alarmantes que mostram que houve um aumento consistente da violência, desde que o atual secretário, que é agente da Polícia Federal, Aluísio Mendes, assumiu o comando da SSP/MA.

Tem mais brigas pelas secretarias, mas deixarei para outra oportunidade.

Fiquem com o discurso do deputado Hemetério Weba:



O SENHOR DEPUTADO HEMETÉRIO WEBA (sem revisão do orador) – Senhor presidente, senhoras e senhores deputados, demais membros da Mesa, galeria e imprensa. Eu volto novamente, senhor presidente, à tribuna desta Casa para falar sobre o assunto do qual me imputaram, em 1999, como quadrilheiro, como um dos maiores traficantes do estado do Maranhão.

Tudo isso que eu passei na minha vida tem que ser esclarecido agora, porque o povo do Maranhão que não me conhece, às vezes, tem uma péssima imagem do deputado Hemetério, da pessoa do Hemetério, do homem que ocupou três mandatos de prefeito deste estado do Maranhão, sendo dois de deputado estadual.

Eu passei calado um bom tempo, senhor presidente, senhores deputados, galeria e imprensa que nos ouvem, nesta manhã de hoje, porque naquela época eu não tinha mais voz e nem vez para utilizar a tribuna desta Casa, para que aqui pudesse botar em limpo aquilo que aconteceu em 99.

Eu sempre desafiei, deputado Manoel Ribeiro, mas V.Exa. era presidente desta Casa naquela época e eu era deputado. Quando envolveram o meu nome naquele episódio, só fui envolvido porque denunciei bandidos daquela região onde eu morava, senhor presidente, senhores deputados. Em momento nenhum no pronunciamento passado, fiz em nome da desonra, quer dizer, disse apenas que nesta Casa está hoje o ex-secretário de Segurança Pública e atual deputado estadual pelo Maranhão e que ninguém mais do que ele poderia mostrar seus relatórios do que foi investigado acerca da pessoa de Hemetério Weba.

 Aqui, ontem, eu já não estava mais na Casa, e o Cutrim garante que não fez investigação contra Hemetério Weba, mas eu pergunto ao deputado e secretário naquela época: quem é o delegado Nordman Ribeiro? Quem é o delegado José Márcio? Eram os homens de sua confiança, ex-secretário, que estiveram nas proximidades da minha fazenda, lá no município de Turilândia, deputado Manoel Ribeiro, fazendo investigação de carretas, que havia carretas, esqueletos de carretas onde não tinha estrada sequer, senhores deputados e deputadas, galeria e imprensa que nos ouvem, para passar um carro pequeno, quanto mais uma carreta truncada ou um caminhão truncado.

Mas eu agora desafio a provar. O ex-secretário tem sim o relatório em mãos, mas é um relatório que não complica e não envolve o deputado Hemetério em nenhum ato inescrupuloso neste estado porque, se tivesse, estaria hoje neste blog bem aqui, postado. Pois é assim que muitas vezes verdades que se publicam e se falam, neste estado do Maranhão, as calúnias quando se quer caluniar, porque ninguém sofreu mais do que eu, meus amigos e a minha família.

Mas Deus me deu a tranquilidade, senhor presidente, senhores deputados, de esperar por muito tempo e esse tempo chegou, muito embora atrasado, mas chegou esse tempo e agora é que eu quero ver aqueles que tanto me acusaram. Aquele que foi o ex-funcionário da CEMAR, Messias Brito Vital, e que acusou Hemetério de quadrilheiro, mas todos os quadrilheiros foram presos, responderam processo, porque estavam envolvidos, mas o Hemetério está onde nisso?

Onde está o Hemetério nisso? É sobre isso que pergunto. Agora, deputado Marcelo Tavares, quem não me conhece, às vezes, tem uma péssima impressão do Hemetério. Mas Deus está no céu e quem me conhece está aqui na terra, a minha região me conhece e é por isso que eu tenho credibilidade política, porque digo não quando eu não posso, e digo sim quando posso: eu não engano ninguém. Agora, mais aqui embaixo, ele ironiza: Muitas vezes o deputado Hélio Soares cobrou esse fato do qual eu tenho conhecimento, que sofreu o atentado levando 03 tiros, mas sobreviveu. Entretanto, em outubro de 2003, ele foi deputado no município de Nova Olinda do Maranhão, após esse homicídio segundo Cutrim, foram presas duas pessoas, que em seguida foram indiciadas: José Maria Albuquerque e Sebastião José da Silva, mas essas pessoas eu tenho conhecimento, porque foi na minha gestão, e a gestão da CPI do Crime Organizado no Maranhão não foi uma gestão dele. Ele aqui diz que foi só a Polícia Federal, não foi só a Polícia Federal, senhor Presidente, senhores deputados, foi a polícia do Estado, foi a Polícia Civil comandada por ele, mas não investigou por onde passou neste Estado, e eu desafio provar um ato ilícito, um ato que me envolva com delito com quadrilheiro ou com traficante. Agora, aqui tem gente que não pode que não pode ser investigado nesta Cassa, porque se investigar as coisas muda o rumo da história, muda o rumo da história. Eu quero perguntar ao meu nobre colega, deputado Hélio Soares, V. Ex.ª aguenta a fiscalização, as investigações da Polícia Federal assim como eu aguentei? E assim muitos os outros, e assim muitos outros. Eu só quero dizer aqui nesta Casa, não estou ofendendo ninguém, eu estou defendendo das acusações que me fizeram e que o Maranhão viu, não só no Maranhão, o Brasil e o Mundo.

Eu saí preso de uma Casa que eu servir com tanta seriedade. Exerci o meu mandato com seriedade, com respeito ao povo que me elegeu e com respeito aos cargos públicos que sempre tive, como estadual, eu trabalhei 35 anos no Estado, nunca respondi sequer um processo administrativo na minha vida, porque zelei pelo meu nome, pela minha honra e por minha família. Mas Deus é Deus. Deus escreve certo em linhas tortas, em breve, nós veremos mais coisas. Agora, se há uma briga, se há uma questão da Secretaria de Segurança não está bem, o problema não é do deputado Hemetério, e eu tenho certeza de que hoje ela vai bem, está bem conduzida pelo atual secretário de Segurança Pública do Estado, muito bem conduzida.

Porque agora não se coleciona repreensão, não está usando o alicate, não esta se usando uma taca, chibata, o quanto se usa naquela época para que as pessoas ali dissessem o que não fez. Inclusive aqui duas pessoas aqui citadas o José Maria Albuquerque e Sebastião José de Sousa Silva de Santa Luzia do Paruá, disseram, para mim, pessoalmente: o secretário Cutrim me disse; pega aquele bandido do Hemetério que foi ele que mandou. Mas não tem coragem de dizer que não me investigou, mostra, deputado, mostra as investigações contra minha pessoa que V. Ex.ª fez quando foi secretário de Segurança Pública do Estado. É só mostrar, e que mostre também os relatórios que V. Ex.ª tem sim, têm condições de ver os relatórios da Policia Federal sobre a investigação de minha pessoa. Eu tenho em mãos o relatório da CPI Nacional com todos os depoimentos e é por isso, Senhor Presidente, senhores deputados, que eu não tenho medo de investigação, principalmente investigação dessa forma, dessa maneira, onde se massacra, onde se tenta exterminar o cidadão, o ser humano que sempre rogou a sua vida de luta, de trabalho e com seriedade, mas só Deus sabe, deputado Milhomem, o que eu passei.

O Milhomem me encontrou na antessala e disse: Hemetério vai te embora, tu não tens nada o que falar. Ai eu disse: Milhomem, eu não vou, porque quem não deve não teme. Aí me disseram que eu era o maior traficante e que o avião meu, deputado Manoel Ribeiro, foi visto lá em Seres e Seres lá, eu não sei onde fica a fronteira que eu não conheço. Esse avião que eu comprei, Milhomem, que era do deputado Edinho Lobão, que eu nunca saí do Maranhão nesse avião para canto nenhum. Eu nunca saí, se aterrissou algumas vezes nas pistas clandestinas do Estado é porque não havia pista homologada nesse Estado do Maranhão.

Agora, o povo vai saber e está sabendo eu nunca me envolvi e jamais me envolverei. Nunca participei de quadrilheiro, de crime organizado no Estado do Maranhão e nem em canto nenhum deste mundo. É só investigar e mostrar, agora eu não aceito mais triscar no nome do Hemetério, do Deputado Hemetério sem que haja provas contundentes. Não provas falsas e fictícias, e prova de quem já foi embora e não volta mais como aconteceu aqui.

 Agora este caso tem que ser elucidado realmente e tenho certeza de que não só os casos que vêm acontecendo no Maranhão, pois estão sendo bem investigados, estão sendo bem conduzidos pelo atual secretário de Segurança do estado do Maranhão com a sua equipe, de forma condigna e digna para não prejudicar pessoas inocentes porque as censuras são grandes, mas a prova falta. E o que faz o cidadão ser indiciado, ser condenado é ter provas do que ele fez, quer dizer, não é só por falácia, como eu sofri, a minha família, meus amigos e quem me conhece neste Maranhão sofreram.

 Amigos que eu tinha de longas datas se afastaram de mim porque ficaram com medo até de falar comigo, mas eu tive um que não teve medo e que na mesma hora do episódio ligou para mim: o deputado federal Sarney Filho. Isso me choca, pois essa ferida não está cicatrizada. Agora eu não aceito mais, eu não aceito mais. Já chega!

Aqui quando querem, naquele quero, posso e mando, na época tudo era capaz de ser feito, e isso foi feito contra a minha pessoa. Mas estou aqui pela vontade expressiva do povo que me conhece no estado do Maranhão, defendendo não só a minha pessoa e a minha integridade, mas defendendo também os interesses do povo do meu Estado e defendendo também os interesses do povo da minha região. Senhor presidente, senhores deputados, galeria, imprensa, senhoras deputadas, era isso que eu tinha a falar neste momento. Muito obrigado.


Nenhum comentário: