sábado, 2 de janeiro de 2010

Giro rápido

Porque não acontece apagão na Alumar?

A festa de reveillon de alguns maranhenses foi na escuridão total. Em alguns bairros da capital ainda estão sem luz, desde o último dia do ano.

Cerca de 7.000 reclamações foram registradas pelo serviço de atendimento da Cemar, que colocou a culpa em São Pedro (nas chuvas), da mesma forma como fez o chefe maior da eletricidade maranhense o ministro Lobão, quando teve que dar uma justificativa sem nexo para o presidente Lula, após um apagão deixou metade do Brasil sem luz, meses atrás.

O que o Lobão, o santo das chuvas, e a Cemar não sabem responder para o contribuinte maranhense, é porque as chuvas nunca impedem o fornecimento de energia elétrica das empresas que “cooperam” com o caixa das campanhas eleitorais do “esquema Sarney”; a Alumar, a Vale, e a Alcoa.

Qual será o santo forte e iluminado que protege os interesses dessas empresas, mas deixa sempre o Estado do Maranhão às escuras???

Bandidagem X força policial

Uma fonte que sofreu agressões na litorânea revelou ao blog

“A rapaziada do “cap reto” (boné) meteu o bicho na virada do ano na litorânea, lá muita gente reclamava do esquema de segurança do secretário Cutrim, que não conseguiu impedir o descontrole da galera exaltada devido o consumo de bebidas.

Enquanto a “força policial” se concentrou no Olho D água, a moçada das áreas do Divinéia e Pirâmide, desceu em peso para a litorânea. Quem presenciou o festival de brigas, comentou que a “turma de cap reto” que estavam armados com facas de serra (cortar pão), se concentrou no local dos shows, lá o policiamento estava devagar”.

Força Policial é bem diferente da policia comunitária

No bairro Basílio, próximo à sede do Boi Pirilampo, uma viatura da “força” estava querendo prender gente de bem. Os populares estavam indignados por que alguns policiais tentaram prender um morador, que estava vendendo algodão doce e ainda prometeram prender uma menor, que se recusou a responder as perguntas dos policiais.

Vergonha maranhense

“Honoráveis Bandidos” biografia não autorizada do senador José Sarney, lançada pela Geração, foi o livro mais vendido em 2009 na Livraria da Folha. O autor Palmério Dória começou a escrever nova obra.

Veja aqui:

4 comentários:

Anônimo disse...

Ricardo vc sabia que a Alumar está ixenta das taxas de luz?
É esse o estado que a filha do sarney trabalha?

Anônimo disse...

Manda Lobo mau rezar para a madre superiora para ver se acontece um milagre e a tarifa de energia eletrica a bixe para os consumidores rarara

Ítalo Gustavo Leite disse...

Essa questão da segurança é algo a ser observado. Como bem enfatizado pelo blog é um binômio complicado: bandidagem e força policial.
http://notasjudiciosas.wordpress.com/

Mano disse...

Enquanto isso, na terra do Coronel, as livrarias se borram de medo de colocar à venda esse best-seller que conta as picaretagens do honorável bandido.