quinta-feira, 17 de setembro de 2009

FUNDAÇÃO LARANJA DE SARNEY É PEGA EM GRAMPO DA POLÍCIA FEDERAL

O jornal Folha de São Paulo destaca em sua matéria principal desta quinta feira, que o senador Sarney foi pego pelos grampos da Polícia Federal em conversas comprometedoras.

No grampo da PF ficam claras as ligações do chefe maior do Clã Sarney, com atos de corrupção. Entre esses atos, estão vultosas verbas para a campanha da filha Roseana (Sarney), que concorria ao governo do Estado 2006.

Alguns trechos da escuta comprometedora:

Sarney diz para sua neta (Ana Clara) "Olha, vai te ligar o [empresário] Richard Klien que também quer nos ajudar tá..."

“...Diz [a ele] que nós precisamos para a manutenção do convento [sede da fundação].

Que tem que pagar INSS...”

“...Veja quanto ele quer nos ajudar. (...) Dá o número da conta [bancária] da fundação".

No mesmo telefonema, Sarney informa a Ana Clara:

"Já falei com o Iphan".

Vem a ser o órgão público que custeia a preservação de prédios históricos. Prédios como o Convento das Mercês, assentado em São Luís, onde funciona a sede da Fundação José Sarney.

O Jornal destaca ainda, que Sarney está presente no dia a dia da administração da fundação de cor laranja, bem diferente daquilo que falou, quando negou sua participação nas atividades duvidosas daquela organização, invalidando seus atos, empurrando para debaixo do tapete suas responsabilidades à frente da presidência do senado.

O Senado resolveu simplesmente invalidar todas as acusações dos atos secretos, que foram invalidados, escondidos da opinião, mas não dos grampos da Polícia Federal.
Acompanhe mais clicando aqui:

Um comentário:

Mano disse...

Mais uma do Coronel Mentira, o mentiroso patológico. O Brasil inteiro agora conhece as práticas desse pilantra. Não adianta censurar jornais porque a verdade sempre aparece.