sexta-feira, 11 de abril de 2008

AINDA SOBRE A ENTREVISTA

Na entrevista Coelho Neto pergunta se Ribamar Bogéa sentia ódio do Grupo Sanrey e ele bate no que sempre falamos aqui, é desprezo pelo sarneyisismo que sabemos não ter compromisso nenhum pelo Maranhão, diz Bogéa:

“Falo com convicção porque tenho hoje o mesmo sentimento que meu pai tinha. Como aceitar que um homem com todo o poder e influência que Sarney teve – e ainda tem – em Brasília, um homem que foi presidente da República, que fez três ministros maranhenses, que foi duas vezes presidente do Congresso Nacional deixe o Maranhão na situação que deixou, ostentando o título de campeão nacional da pobreza?”

Não é de se concordar???

Um comentário:

juvenal portela disse...

o jornal pequeno sempre uma espinha na garganta do sarney.