quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

JACKSON DÁ EXEMPLO DE DEMOCRACIA E SARNEY DE COVARDIA!!!

Ao contrário do senador amapaense José sarney e seus filhos Roseana e Zequinha, que por conta da bomba que explodiu no colo do filho e mano Fernando, pego pela polícia federal com a boca na botija.

Preferiram se esconder e não comparareceram à posse do senador Edison Lobão, (afilhado político de Sarney) no ministério de minas e energia. O governador Jackson Lago, numa demonstração de civilidade e democracia esteve presente à solenidade para prestigiar um conterrâneo.


Mesmo vivendo politicamente em lados opostos, fazendo cair por terra um rosário de futricas publicadas com insistencia nos órgãos de comunicação do sistema mirante de que o governador e seus aliados torciam para que Lobão não assumisse a pasta.


Os mais apaixonados por Sarney e que só acompanham as notícias veículadas pelo sistema mirante devem estar decepcionados, pois acabaram comprando gato por lebre, afinal, de acordo com o que apregoam as "viúvas" quem deveria aparecer na foto saudando o novo ministro era seu "padrinho".

Mas como no Maranhão a partir da derrota da oligarquia a ordem política voltou a seguir seu curso natural, nem mesmo os aliados mais fiés do velho Sarney como o próprio Lobão já não fazem nenhuma questão de aparecer ao seu lado nem mesmo nas fotografias.

4 comentários:

Anônimo disse...

Civilidae política coisa nehuma. jackson sempre foi um oportunista. Não foi ele que tamb´pem tomou champanhe com Roseana? larga de puxar o saco de Mr Magoo Ricardo. Ele também não é flor que se cheire

SEU JOCA disse...

NOTA INOFENSIVA OU SINAL DE QUE ESTÃO "ESVAZIANDO" O SENADOR SARNEY?

O JORNALISTA CLAUDIO HUMBERTO PUBLICOU NA SUA COLUNA UMA PEQUENA NOTA APARENTENMENTE INOFENSIVA, CERTO? ERRADO CAROS LEITORES, A NOTA MOSTRA QUE O SENADOR JOSÉ SARNEY ESTÁ SENDO "ESVAZIADO" DENTRO DO SENADO, A TAL PONTO QUE GENTE DE SUA TUTELA ESTAR SENDO DEMITIDA DE CARGO DE CONFIANÇA DA PRESIDÊNCIA DA CASA. PELO VISTO GARIBALDE ALVES NÃO QUER NEM OUVIR FALAR DE GENTE DE DON BIGODON PERTO DELE. NINGUÉM MAS TEM MEDO DAS FERROADAS DOS MARINBONDOS DE FUMAÇA DE DON BIGODON.

25/01/2008 | 0:00


Fim do reinado
Acabou a dinastia de Marta Lira na chefia de gabinete da presidência do Senado. Ligada a Sarney, estava no cargo desde ACM e foi "herdada" por Renan Calheiros. Garibaldi Alves a substituiu pelo potiguar Florian Madruga.

www.claudiohumberto.com.br

SEU JOCA disse...

E O "PAI" DE COURA ERA OUTRO.....

SEGUNDO O JORNLISTA LAURO JARDIN DE RADAR ONLINE DA VEJA, O "PAI" DA INDICAÇÃO DE EVANDRO COURA NÃO É SARNEY, NA VERDADE QUEM O DESCOBRIU PARA DON BIGODON FOI O EX-MINISTRO SILAS "RODOU". E SE É GENTE DE "RODOU" É GENTE DE FEFÉ.


GOVERNO
O pai de Coura | 07:14

Aonde, afinal, José Sarney foi descobrir Evandro Coura, indicado por ele para a presidência da Eletrobrás? Velho companheiro do ex-presidente? Nada disso. Foi Silas Rondeau quem "achou" Coura para Sarney.


http://vejaonline.abril.uol.com.br/notitia/servlet/newstorm.ns.presentation.NavigationServlet?publicationCode=1&pageCode=1286

SEU JOCA disse...

CHACOTA INTERNACIONAL.....

SARNEY E LOBÃO VIRARAM CHACOTA ATÉ EM REVISTA BRITÂNICA.....

Para 'Economist', nomeação de Lobão sinaliza 'sobrevivência de clientelismo'
Segundo revista, Lobão se tornou ministro por ser protegido de José Sarney.
Da BBC

A revista britânica The Economist classifica a nomeação de Edison Lobão para o cargo de ministro de Minas e Energia como exemplo da sobrevivência de "dinastias políticas feudais" no Brasil.

Em um artigo intitulado Wolf Pack -The survival of patronage politics (Bando de Lobos - a sobrevivência do clientelismo político, em tradução livre), a revista escreve que Lobão foi nomeado para a pasta "porque é protegido do senador José Sarney, um dos líderes dos Democratas, partido que o presidente Lula precisa para ter maioria no Senado".

Embora afirme que "essas dinastias políticas são menos comuns do que já foram no Brasil", a revista diz que "em locais com o Maranhão, os velhos hábitos sobrevivem".

"O clientelismo político é um fardo pesado para o contribuinte brasileiro. E se as luzes se apagarem neste ano, o seu custo vai ser ainda mais pesado", diz a Economist, em uma referência a uma das principais tarefas do novo ministro, a de garantir o suprimento normal de energia elétrica no país, ameaçado por causa da falta de chuvas.

Ironia

A revista afirma que dados indicam que as chances de um novo apagão no Brasil nos próximos dois anos são de 20% e que o país depende fortemente das chuvas na região Sudeste nos próximos três meses para manter as usinas hidroelétricas funcionando normalmente.

"A falta de conhecimento (de Lobão) sobre o assunto não deve ser um problema, já que ele assegurou ao público que já começou a ler a respeito", diz o artigo, em tom de ironia.

Ainda no mesmo tom, a revista lembra que o nome do ministro "parece ter sido feito sob medida para o cargo", em uma referência ao descobridor da eletricidade, Thomas Edison.

Fazendo uma análise da carreira do novo ministro, o The Economist afirma que, como jornalista durante a ditadura militar, "Lobão escreveu artigos tão favoráveis aos generais que governaram o Brasil que eles o tornaram um congressista de seu partido".

Para a revista, Lobão teria ainda outras "manchas em sua trajetória", como a indicação do próprio filho, que "está sendo investigado por evasão fiscal", para ser seu suplente no Senado.

http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL274045-9356,00-PARA+ECONOMIST+NOMEACAO+DE+LOBAO+SINALIZA+SOBREVIVENCIA+DE+CLIENTELISMO.html