terça-feira, 15 de janeiro de 2008

FOGO AMIGO É? ENTÃO TÁ!!!!!!!!!

Uma das "viúvas" do Sarney postou em seu blog no portal imirante que o senador Edison Lobão e seu filho Edinho, estariam sendo vítimas de "fogo amigo" referindo-se ao rosário de denúncias que pesam principalmente contra Edinho que está prestes a assumir a vaga do pai no senado federal.

Caso este seja realmente nomeado pelo presidente Lula para o ministério de minas e energia. acusa sobretudo o jornal O Imparcial, que mantém com o sistema difusora, de propriedade dos Lobão uma espécie de parceria comercial.


É lógico que a intenção do blogueiro miranteano é incutir na cabeça da população que quem quer ver Lobão e seu filho pelas costas são os adversários do grupo Sarney, ou seja, pessoas ligadas ao governo estadual.

mas, a verdadeira história é exatamente o contrário do que o sistema mirante tenta passar, todos no maranhão conhecem os métodos do senador amapaense José Sarney, que sempre procura um "cristo" para transferir suas culpas, muitos "aliados" já foram vítimas dessas armações.

Que o diga o destrambelhado Chiquinho Escórcio, sua última vítima, a quem mandou armar contra o governador Jackson Lago e uma vez descoberta a armação o deixou sem pai e sem mãe respondendo sozinho pela bronca.

Na verdade, é do interesse de Sarney que Lobão e Edinho sejam execrados pela mídia como estão, pois dessa forma tira os holofotes de cima do seu filho Fernando que está sendo investigado pela Polícia Federal sob supostas acusações de lavagem de dinheiro, caixa dois para a campanha de Roseana em 2006 e sonegação fiscal.

Dentre outras coisas, parece que o único que não consegue enxergar é o próprio Lobão, que acabará pagando pelo que não fez, comprometendo seu futuro político, enquanto Sarney continuará fazendo das suas e jogando os "amigos" para serem devorados pelos leões sempre que seus interesses estiverem ameaçados.

Um comentário:

SEU JOCA disse...

ADVOGADOS DE FERNANDO SARNEY TÊM ACESSO A INQUÉRITO SOB SEGREDO DE JUSTIÇA

15/01/2008 - 11:21 - STJ

Segredo

Advogados de Fernando Sarney têm acesso a inquérito sob segredo de justiça

A defesa do empresário Fernando José Macieira Sarney conseguiu, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), ter acesso aos autos do inquérito policial sigiloso em tramitação na Polícia Federal do Maranhão. O Ministério Público Federal impetrou pedido de reconsideração da decisão que autorizou o acesso aos autos, mas ele foi negado pelo presidente do STJ, ministro Raphael de Barros Monteiro Filho.

Em setembro de 2007, a TV Mirante, de propriedade de Fernando Sarney, recebeu de um auditor da Receita Federal um Termo de Intimação Fiscal. Foi estabelecido um prazo de cinco dias para que o empresário fornecesse os Livros Diário e Razão do ano calendário de 2006 com exercício em 2007 e os documentos relativos aos fatos contábeis registrados nos livros da emissora de televisão, retransmissora da Rede Globo no Maranhão.

Após o pedido da Receita Federal, os advogados do empresário entram com mandado de segurança na 1ª Vara da Justiça Federal do Maranhão para ter acesso ao inquérito policial em que Fernando Sarney, na condição de sócio da TV Mirante, faria parte. O pedido foi negado em primeiro grau e também pelo Tribunal Regional da 1ª Região. Os magistrados entenderam que o processo estava em plena tramitação e que o sigilo era necessário para o sucesso das investigações.

Contra essas decisões, a defesa de Fernando Sarney impetrou habeas-corpus no STJ. O relator substituto, ministro Napoleão Nunes Maia Filho, concedeu liminar em 19/12/2007 para que os advogados tivessem acesso ao inquérito.

No dia 31/12, o Ministério Público Federal fez um pedido de reconsideração alegando que o inquérito sigiloso envolve outras pessoas além do empresário e que não há acusação contra ele. Esse pedido não chegou a ser analisado pelo ministro Barros Monteiro porque não se enquadra nas hipóteses que demandam apreciação urgente do presidente do STJ durante o recesso forense. Além disso, o presidente do STJ não é o revisor das decisões tomadas por outros ministros do Tribunal. Após o início do semestre forense, em 1/02/08, o processo será encaminhado ao relator, ministro Paulo Gallotti.

http://www.portalaz.com.br/noticia/maranhao