sexta-feira, 9 de novembro de 2007

MOSQUITO PRECISA PICAR SARNEY E GÓES I

Deu no blog de Luciana Capiberibe, jornalista do Amapá:

Dengue atinge números elevados no Amapá, mas continua sendo tratada com descaso

Segundo Arnaldo José Ballarini, Consultor do Ministério da Saúde junto ao Programa Nacional de Controle da Dengue, "todo ano Macapá apresentava epidemias sazonais. Mas a partir desse ano houve epidemia de febre hemorrágica de dengue. Cinco pessoas já morreram..." A dengue hemorrágica é a forma mais grave da doença. Oiapoque já é apontada como possível campeã de casos de dengue no Estado, em 2007.

Segundo o presidente do Conselho Regional de Medicina do município, médico Dardeg Aleixo o descaso com a saúde é sério.

Falta até papel para fazer a notificação da doença, o que impede o controle real do número de casos e ainda agulhas para vacinação em postos de saúde.

Outro problema estaria na centralização dos exames de dengue num único laboratório, o Lacen, que fica distante mais de uma hora de determinados bairros.

Um mosquitinho desse precisa picar Waldez Góes(Governador eleito) e Sarney (Senador eleito) para ver se acordam para a grave situação.

6 comentários:

SEU JOCA disse...

O AZENHA(BLOG VI O MUNDO) TENTA NÃO AZUCRINAR O SARNEY, MAS DEFINITIVAMENTE NÃO CONSEGUE. A DESCOBERTA AGORA É QUE UMA CONCESSÇÃO DE RADIO E TV LOCALIZADA NO INTERIOR DO MARANHÃO E PERTENCENTE ANTERIORMENTE A FAMILIA SARNEY FOI TRANSFERIDA PASMEM À FAMILIA MESQUITA QUE CONTROLA O GRUPO ESTADÃO DO QUAL FAZEM PARTE O JORNAL ESTADO DE SÃO PAULO E A RÁDIO ELDORADO QUE NO MOMENTO ESTÁ ARRENDADA PELA ESPN BRASIL, ISTO DURANTE O GOVERNO DE FERNANDO HENRIQUE CARDOSO QUE HOJE É INIMIGO MORTAL DOS SARNEY POR CAUSA DA LUNUS. O QUE AZENHA E AGORA O BRASIL INTEIRO QUEREM SABER É PORQUE RAIOS UM GRUPO DE SÃO PAULO RESOLVEU INVESTIR NUMA CONCESSÃO NOS CAFUNDÓS DO INTERIOR MARANHENSE? COM A PALAVRA A TURMA DO OUTRO LADO DA PONTE.

SEGUE A INTEGRA DA MATÉRIA SEM AS IMAGENS E NO FINAL O LINK DE ACESSO A ELA.

FHC transferiu concessão da família Sarney para a família Mesquita

Acho normal uma empresa de comunicação buscar ampliar os seus negócios. Faz parte. Porém, talvez a história da TV Itapicuru Ltda. seja a mais exótica na história das concessões brasileiras de emissoras de rádio e TV. Ou talvez seja apenas a melhor documentada.

Pelo decreto acima, no apagar das luzes de 2001, ano pré-eleitoral, o governo de FHC transferiu da família Sarney para a família Mesquita a concessão de uma emissora de TV em Santa Inês, no interior do Maranhão.

Não me perguntem o que os Mesquita queriam fazer explorando uma emissora de TV no interior do Maranhão, mas aconteceu. A íntegra do decreto é a seguinte:


"Presidência da República

Casa Civil

Subchefia para Assuntos Jurídicos

DECRETO DE 6 DE DEZEMBRO DE 2001.

Transfere para a Rádio Eldorado Ltda. a concessão outorgada à TV Itapicuru Ltda., e posteriormente transferida à TV Maranhão Central Ltda., para explorar serviço de radiodifusão de sons e imagens, na cidade de Santa Inês, Estado do Maranhão.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, inciso IV, da Constituição, e nos termos do art. 94, item 3, alínea "a", do Regulamento dos Serviços de Radiodifusão, aprovado pelo Decreto no 52.795, de 31 de outubro de 1963, e tendo em vista o que consta do Processo Administrativo no 53000.004047/2001,

DECRETA:

Art. 1o Fica transferida a concessão outorgada originariamente à TV Itapicuru Ltda., pelo Decreto no 96.809, de 28 de setembro de 1988, e transferida à TV Maranhão Central Ltda., pelo Decreto de 9 de fevereiro de 1998, publicado no Diário Oficial da União em 10 subseqüente, para a Rádio Eldorado Ltda. explorar, pelo restante do prazo, sem direito de exclusividade, serviço de radiodifusão de sons e imagens, na cidade de Santa Inês, Estado do Maranhão.

Parágrafo único. A exploração do serviço de radiodifusão, cuja outorga é transferida por este Decreto, reger-se-á pelo Código Brasileiro de Telecomunicações, leis subseqüentes e seus regulamentos.

Art. 2o Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 6 de dezembro de 2001; 180o da Independência e 113o da República.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO

Pimenta de Veiga

Este texto não substitui o publicado no D.O.U. de 7.12.2001".

Pimenta da Veiga era o ministro das Comunicações. Em abril de 2002, retomaria o cargo de deputado federal para coordenar a campanha de José Serra à presidência da República. Será que a família Sarney deu assim, de mão beijada, uma emissora de TV para a família Mesquita? Por quê? O que recebeu em troca?

Como eu já havia noticiado, a TV Itapicuru Ltda. nasceu durante o governo Sarney, por decreto assinado pelo então presidente e pelo ministro das Comunicações da época, Antonio Carlos Magalhães.

Tem uma história capaz de abastecer muitas teorias conspiratórias. Vejam só o que aconteceu com a concessão:

Nasceu no governo Sarney com o nome de TV Itapicuru Ltda., por decreto de 28 de setembro de 1988.

O decreto original foi revogado em 10 de maio de 1991, durante o governo Collor, porém a concessão mantida;

Por decreto de 9 de fevereiro de 1988, já no governo FHC, foi transferida para a TV Maranhão Central Ltda., ligada à família Sarney.

Por decreto de 6 de dezembro de 2001, dias antes do início do ano eleitoral, passou da família Sarney para a família Mesquita, que controla a Rádio Eldorado Ltda.

Entrei em contato com a assessoria de imprensa do "Estadão", que está tentando responder a algumas perguntas: quero saber se a empresa comprou a concessão da família Sarney e qual o motivo de ter decidido investir em TV, de todos os lugares do mundo, no interior do Maranhão. Deu certo? Fracassou? Vendeu? Foi sócia de Sarney? Estou esperando as respostas.

Publicado em 8 de novembro de 2007

http://viomundo.globo.com/site.php?nome=Bizarro&edicao=1485

José disse...

Pica, pica, mosquitinho...
Mas não pica só os pobres,
ou melhor, os pobres pica não!
Pica esses dois "nobres":
Coronel Sarney
E o governador ladrão.

Anônimo disse...

caro ricardo. veja o que a soninha, ex MTV, hoje na ESPN, vereadora de Sao paulo, usou para justificar a sua saida do pt. http://congressoemfoco.ig.com.br/Ultimas.aspx?id=19741
nao e virus

SEU JOCA disse...

BOMBA !!!! JORNALISTA DA FOLHA AFIRMA QUE PRISÕES DA NAVALHA FORAM ILEGAIS !!

O JORNALISTA MELQUIADES FILHO DA PRESTIGIADA FOLHA DE SÃO PAULO TRÁS UMA INFORMAÇÃO QUE JÁ ROLAVA A MUITO EM FORMA DE BOATO, DIVULGADA AQUI NO MARANHÃO PELO JORNALISTA WALTER RODRIGUES, DE QUE AS PRISÕES DA OPERAÇÃO NAVALHA FORAM ILEGAIS, ISSO MESMO ILEGAIS. SEGUNDO MELQUIADES PROCURADORES E POLÍCIA SE ESFORÇAM ATÉ PARA HOJE PARA LEGALIZAR AS PRISÕES FEITAS PELA MINISTRA ELIANA CALMON NA OPERAÇÃO NAVALHA CONFORME O TRECHO A SEGUIR DO ARTIGO QUE REPRODUZO MAIS ABAIXO NA INTEGRA: "Tome-se o caso da ministra do STJ que, atipicamente, fez questão de ouvir todos os depoimentos do escândalo da Navalha -rigor não observado quando ela assinou as prisões, que policiais e procuradores se esforçam até hoje para validar."

MELCHIADES FILHO

São Paulo, sábado, 10 de novembro de 2007

O desafio supremo

BRASÍLIA - O protagonismo político do Judiciário não é artificial nem foi construído em 2007. É um erro, portanto, atribuí-lo somente à vaidade de ministros e juízes ou ao ano lamentável do Congresso.
Foi a redemocratização do país que apresentou ao brasileiro aquele que costumava ser chamado de Terceiro Poder -hoje, "vice-líder".
Divórcios, direitos do consumidor, lei do inquilinato, ações trabalhistas, aos poucos os tribunais passaram a fazer parte do exercício da cidadania. Entre o caminho judicial e o lobby parlamentar, os principais atores da economia não hesitam em apostar no primeiro.
Não à toa, explodiram os números de varas e processos. A aceleração das curvas de gastos, obras e pessoal do Judiciário deixa no chinelo as do Executivo e Legislativo. Se a vida cotidiana foi "judicializada", nada mais natural que a política também fosse.
Com efeito, o Supremo só veio a arbitrar questões nevrálgicas para partidos e governo (imposição da fidelidade e a extensão para o funcionalismo da lei de greve da iniciativa privada) porque foi acionado.
Há, claro, o risco do encanto com os holofotes. Tome-se o caso da ministra do STJ que, atipicamente, fez questão de ouvir todos os depoimentos do escândalo da Navalha -rigor não observado quando ela assinou as prisões, que policiais e procuradores se esforçam até hoje para validar. Ou o da indignação-para-a-TV-registrar no STF sobre o ex-governador da Paraíba.
Mas estrelismos como esses não são suficientes para condenar o Judiciário por buscar sintonia com a sociedade. A abertura é boa, até para atualizar a jurisprudência.
Resta saber se as cortes superiores estão de fato dispostas a levar essa guinada adiante. Em algum momento, ela deverá impor um paradoxo. Faz sentido praticar o "Direito das ruas" e manter resguardos pré-republicanos, como a vitaliciedade dos cargos? Os ministros vão aceitar mandatos fixos?

Anônimo disse...

É AÍ ONDE RESIDE O MAIOR MEDO DE SARNEY EM RELAÇÃO A OPERAÇÃO NAVALHA, ESSE ERRO DE CÁLCULO NO AFÃ DE DESMORALIZAR ZÉ REINALDO E JACKSON LAGO METERAM OS PÉS PELAS MÃOS, FORÇARAM ATRAVÉS DE MUITA PRESSÃO SOBRE O JUDICIÁRIO QUE PRISÕES ILEGAIS FOSSEM EFETUADAS, E CASO ISSO FIQUE COMPROVADO, A DESMORALIZAÇÃO TOTAL DE SARNEY SE TORNARÁ UM FATO IRREVÉRSIVEL.

SEU JOCA disse...

Taí o link para o artigo do jornalista MELCHIADES FILHO da Folha de São Paulo postado ai em cima por mim. Vale lembrar que o acesso é RESTRITO AOS ASSINANTES DA FOLHA, FOLHAONLINE E UOL.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz1011200704.htm