quinta-feira, 22 de novembro de 2007

ESTÁCIO DE SÁ NÃO PODERIA TER CERTIFICADO

A Estácio de Sá não poderia ter certificado de filantropia. Muito menos uma Senadora da República deveria se prestar para este tipo de serviço enquanto milhões de idosos sofrem na previdência por pelo menos uma aposentadoria digna.

As provas pelo não merecimento do certificado, além das irregularidades já levantadas pelo próprio Ministério Público Federal estão no próprio site da universidade.

Exigências como ser entidade de direito privado SEM FINS LUCRATIVOS e ainda promover, gratuitamente, assistência educacional ou de saúde estão longe de ser prática comum na Estácio de Sá.

Se não vejamos. Só a mensalidade do Curso de Graduação de Medicina custa R$2.175 reais. Agora multiplique isto por 12 meses e por 60 alunos e ainda por 6 anos. Dá exatos R$ 9 milhões 413 mil 280 reais que eles tiram só pelo curso de medicina.

O site da Universidade não traz nada sobre assistência social, projetos de responsabilidade social desenvolvidos pela universidade. È só chamada para matrícula e mensalidades.

2 comentários:

Anônimo disse...

CONTRA FATOS NÃO EXISTEM ARGUMENTOS. SEM COMENTÁRIOS.

Maicon da Fé em Deus disse...

É por essas e outras que nosso Estado herdou projetos malucos como o Salangô, o polo de confecções de Rosário e daquela siderúrgica que nunca passou de um galpão comandada por Jorginho Ladrãozinho Murad.