segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Finados: uma grande cova aberta para enterrar os esqueletos das eleições

Próximo do dia de finados, quero lembrar alguns esqueletos e buracos na economia do Maranhão.


O blog não tem a intenção de fazer críticas irresponsáveis, mas criticar para que as autoridades constituídas comecem mostrar por que querem tanto governar um estado tão pobre. Não quero lembrar quem morreu, nem quem perdeu a eleição, até porque já devem ter ido para o espaço nos foguetes, enquanto muita gente “viva” ainda toca foguetes sob as cinzas dos finados.

O grupo Sarney recentemente impetrou no TSE, um processo que garantiu que estivessem de volta ao antigo feudo, e assim, ganhou as eleições de 2010, pagando caro lógico. Durante quase dois anos governaram de publicidade.

Antes do governador Jackson Lago ser cassado, deixou algumas obras pagas para serem terminadas, mas o governo de Roseana Sarney não permitiu, para que justamente fosse motivo de acusações como fizeram os seus jornais e blogues (veja aqui) . Uma vergonha, uma obra cara, paga com o dinheiro do contribuinte sendo desperdiçada.

No Maranhão a vida segue e o pulso ainda pulsa, apesar das irresponsabilidades cometidas. Houve empréstimos; o ultimo foi aprovado pela Assembléia Legislativa no dia 13/07/2010, uma soma milionária do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que não se sabe onde foi parar.

Teve também os 74 hospitais que nunca saíram do papel. E também a reforma da Biblioteca Benedito Leite, que até hoje, está fechada e jogada às traças. No inicio do ano, uma comissão de deputados liderada pelo deputado Alberto Franco, visitou a Biblioteca e lamentou a situação de abandono, e atestou o seguinte:

“É lamentável sobre todos os aspectos que a biblioteca com mais de 180 anos de história, a segunda mais antiga do país, perdendo só para o estrado da Bahia, e com um acervo de cerca de 120 mil volumes entre livros, jornais, manuscritos e outros documentos, esteja numa situação como está, totalmente acabada”.

A comissão de deputados enviou ao governo do Estado um relatório sobre a real situação da Biblioteca, mas até hoje nada aconteceu. Ela voltou, e eles conseguiram vencer nas urnas, mas deixaram um buraco, ou melhor, uma enorme cova que servirá apenas para sepultar o desenvolvimento do Maranhão.

Com as contas no vermelho, o estado mais empobrecido ainda, não tem super locomotiva da Dilma, que consiga colocar o Maranhão nos trilhos e andar na direção que os outros estado da Brasil já estão andando.

Um comentário:

Mano disse...

E o fedor de coisa putrefata vem desse governo imundo que a patuléia ajudou a eleger!