quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Com o pé esquerdo

Recentemente abri o verbo aqui nesse humilde espaço, resolvi falar daquilo que ouço a respeito de algumas especulações que se faz nos bastidores da política, na atual conjuntura que nos abateu.

A ideia foi boa, mas não foi bem aceita por alguns segmentos da oposição.
Na real, todos sabem muito bem que houve a cassação de um governador eleito no voto, e que a oposição conseguiu vencer após décadas o candidato do poderoso esquema Sarney.

Todos também sabem, que esse grupo político se fortalece nas esferas do poder. Em Brasília, Sarney é uma espécie de guru, todos os governos passam por ele, e de quebra, todos os maranhenses são incluídos nesse pacote oligarca.

Imoralidades e ilegalidades, até quando?
Muitos que aportam na “terra do Sarney” não deixam de tomar-lhe as bençãos, as portas da casa grande da praia do Calhau estão sempre abertas… No judiciário, desde o TRE, às mais altas cortes lhe reverenciam, isso todo mundo sabe, mas, fazer o quê, se nesse país, ministros são indicados por políticos?

Sobre os votos dos maranhenses que foram invalidados, até agora o TSE tenta se livrar dessa mancha, quando abriu um extranho precedente que trouxe de volta, nada menos que a filha do “guru” de Brasília, que é dono do Maranhão, e que ajuda na indicação de ministros. Veja aqui:
Lógico, aqui se perdeu no voto, mas, devolveu-se numa das instancias superiores, afinal, o Lula e a Dilma e “o escambau” dos infernos do PMDB conspirando contra, a balança da justiça teria mesmo que pesar para a direita.


Mas e a esquerda maranhense?


Ainda não se sabe. Por hora, enquanto não acerta os pasos, está dando cabeçadas, pulando de um pé a outro, ensaiando os primeiros passos. Como é fim de ano, talvez queira entrar o ano novo (que é ano de eleição), pisando firme, na direção certa, juntos e de mãos dadas. Tomara!
PS. O inimigo é forte e astuto.
O mais certo é encarar a situação unindo as forças, pois de mãos dadas, são redobradas. Também nada de lançar fora companheiros, pessoas que podem ser estratégicas na hora da decisão. Não devemos esquecer que todos que tivemos os votos roubados, torcemos para que acertem os passos novamente.

Um comentário:

Mano disse...

por isso que sempre repito que esse grupo é mafioso e age nos moldes dos mafiosos: corrupção, mandonismo, extorsão, rede de proteção nos poderes, ameaças, vinganças... cadê a operação mãos limpas do Brasil?