domingo, 4 de outubro de 2009

PMDB e PV o discurso do atraso

Logo na entrada do Auditório Fernando Falcão, onde aconteceram as filiações dos partidos que compõem a base sarneysista no Maranhão, encontrei o ex-prefeito de Pinheiro José Genésio, acompanhado de seu filho e alguns jornalistas.

O ex-prefeito que estava bastante indignado, contou que estava retornando de uma conversa séria com o deputado federal Sarney Filho, e que contou-lhe o absurdo que estava acontecendo em sua cidade.

Segundo Genésio, o secretário de segurança Raimundo Cutrim foi para rádio Pericumã FM, anunciar a construção de um presídio em Pinheiro, ele irá fazer “doa a quem doer”, mesmo a população não aceitando o presídio, pois precisam mesmo é de hospitais na cidade, os que existem estão sucateados. Ainda segundo Genésio, Cutrim teria acionado a polícia da Força Nacional para evitar a manifestação dos populares.

A construção do presídio é irregular, não obedece ao plano diretor da cidade, que obriga ter 10 km de distancia das casas. Outra coisa errada, é que o terreno fica próximo demais de um Aeroporto, e poderá favorecer o Tráfico de drogas tão comum nos presídios.

O discurso do PMDB de João Alberto e Ricardo Murad, não conseguiu empolgar as pessoas que estiveram hoje pela manhã no auditório da Assembléia Legislativa para adesão dos partidos que fazem a base de sustentação da oligarquia Sarney no Maranhão.

O evento que seria apenas para filiação de membros no PV (Partido Verde), também serviu para aglutinar membros do PMDB.

O empoeirado discurso dos membros da oligarquia, de “TRABALHO E PROSPERIDADE” para desenvolver o Maranhão repetiu-se novamente. A exemplo de 40 anos atrás, quando Sarney surgiu no cenário da política maranhense, hoje também se repetiu que a “esperança” do Estado, viria pela pré-candidatura de um deputado federal de apenas 22 anos, Alberto Filho que se se filiou ao PMDB.

Inexplicáveis ausências

Ninguém até agora conseguiu explicar a ausência do deputado Ricardo Murad, acredita-se, que não foi convidado pelo João Alberto. Nem o deputado Carlos Filho (PV), esteve lá, ele que inclusive começou na política bem verdinho, quando nem ainda o primeiro emprego tinha.
Além do pré-candidato de 22 anos, apresentado por João Alberto, a fileira dos “novos” filiados, contou com figuras como o regueiro Fauzi Beydoun, e também o colunista de apenas duas letras.

Um comentário:

Mano disse...

Só de pensar em estar presente em um evento desses já me dá vontade de vomitar. Deve ter sido, sem sombra de dúvida, a maior aglutinação dos últimos anos, de vermes asquerosos por metro quadrado.