segunda-feira, 17 de agosto de 2009

SENADOR LOBINHO OCUPA TV COM FINS ELEITOREIROS

Senador (sem votos) pelo Maranhão, Edinho Lobão ocupou agora á pouco o programa de sua emissora de TV, numa “entrevista” que levou quase o horário total do telejornal. Sua entrevista matinal, foi vista por alguns, apenas como uma tentativa de autopromoção.
O empresário que nunca quis se lançar na política, parece que mudou de idéia, está querendo agora conciliar as duas coisas: política com negócios.

A julgar pela forma como falou hoje, de sua preocupação coma a população que vive na área da Base de foguetes em Alcântara, Lobinho se dará muito bem. A política do Maranhão para muitos ainda é um bom negócio, espera-se, dos que se lançam no “novo ramo”, que trilhem o caminho mais viável, geralmente começando a caminhada como vereador ou deputado, mas no caso do ambicioso empresário, o salto foi maior, já que herdou do pai um mandato de senador, talvez por causa disso, tenha que aparecer na mídia constantemente.

Enquanto no Brasil discute-se a questão da mídia estar nas mãos de grupos políticos (a constituição condena claramente), aqui no Maranhão, os senadores que deveriam cumprir a lei, são os primeiros a desrespeitá-la. Recentemente a TV Mirante (da família Sarney), deixou de falar sobre as investigações do filho do senador Sarney. A questão fica drástica, quando essa mesma mídia que ajuda a construir a imagens de alguns, é a mesma que persegue, e destrói a imagem de outros.

O pior de tudo isso, é que já estão fazendo campanha abertamente, enquanto a TV do lobão fala de economia e geração de rendas para o povo quilombola, a TV dos Sarney, ataca de beatas, querendo agradar os fieis da igreja Católica, de olho nas pastorais da igreja que lutam há décadas contra as injustiças sociais praticadas pelos mandatários do Estado.


Uma tarefa difícil, pois todos obedeciam cegamente as ordens do coroné Sarney, o chefe maior do nefasto clã, que entregou as terras produtivas do Estado aos grande latifundiários, que maltrataram e expulsaram os nossos conterrâneos .

Um comentário:

Mano disse...

Esse é um dos absurdos da política brasileira. Um sujeito que nunca recebeu um voto sequer, de uma hora para outra é guindado ao mais alto posto do legislativo. Se os político brasileiros fossem realmente sérios, já teriam acabado com essa sandice que só faz perpetuar a presença de familiares e apaniguados com um cargo político.
Outro absurdo é o fato de políticos serem detentores das mais variadas mídias: TV, rádios, jornais, etc. Aí ficam fazendo campanha política através de uma concessão pública que é distribuída a torto e a direito. Agora vamos ter que aguentar mais esse dublê de Senador, o Edinho 30%.