quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

A quadrilha de Sarney no Senado

José Sarney foi eleito presidente do Senado. Para atingir pela terceira vez esse cargo, contou diretamente com uma quadrilha de malfeitores, vejamos:
Renan Calheiros (PMDB-AL): o principal responsável pela entrada de Sarney na disputa. Teve despesas pessoais pagas pelo lobista Cláudio Gontijo, da empreiteira Mendes Júnior. Também foi acusado de participar de um esquema de arrecadação de recursos em ministérios dirigidos pelo PMDB e de mandar espionar senadores que pediam a cassação de seu mandato.

Romero Jucá (PMDB-RR): Era ministro da Previdência em 2005, quando foi acusado de envolvimento em supostas irregularidades na aplicação de empréstimos do Banco da Amazônia (Basa). O dinheiro deveria ser usado no abatedouro de frangos Frangonorte, do qual Jucá era sócio. A empresa teria dado fazendas inexistentes como garantia ao empréstimo. Após semanas de pressão e um inquérito aberto no STF, Jucá entregou o cargo e retornou ao Senado.

Valdir Raupp, (PMDB-RO): Se defende de duas ações penais e três inquéritos. A tramitação da Ação Penal 358 é a mais avançada. Ainda em 28 de setembro de 2006, parecer da Procuradoria Geral da República (PGR) manteve decisão, em primeira instância, que condenou o líder peemedebista por peculato (desvio de dinheiro público) à pena de seis anos de prisão em regime semi-aberto.

Gim Argello (PTB-DF): O mais novo senador a integrar o grupo de articulação de Sarney. Foi acusado em 2002 de ter recebido 300 lotes para facilitar a regularização do condomínio Alto da Boa Vista, em Brasília. A denúncia foi feita a partir de uma fita de vídeo pelo então secretário de Assuntos Fundiários e deputado distrital licenciado Odilon Aires.

Essa é a turma que terá o comando do Senado, que num país medianamente sério, teriam perdido a cadeira senatoria e teriam a esperá-los a cadeia.

O Brasil tem que se livrar dessa chaga moral que atende por José Sarney.
(Giulio Sanmartini)

4 comentários:

Ricardo Santos disse...

Vedadeira quadrilha de porra-loucas

Anônimo disse...

Só esses não: faltam Fernando Collor, Almeida Lima e outros

Anônimo disse...

Só esses não: faltam Fernando Collor, Almeida Lima e outros

Zé Indignado disse...

Fazer o quê? A grande maioria dos senadores fazem parte de quadrilhas. Venceram os ladrões, ainda mais chefiados por um ladrão imortal. Pobre do País, pobre das instituições sérias, pobre de nós, míseros brasileiros mortais.