segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

NOTAS NACIONAIS


ELEIÇÕES NO CONGRESSO


Por Lauro Jardim

Sarney vence Tião por 49 a 32
José Sarney acaba de vencer Tião Viana por 49 votos a 32. Desde o início da sessão, Renan Calheiros ficou ao lado de Sarney. Tião Viana, por sua vez, assistiu à apuração junto com o líder do PSDB, Arthur Virgílio.


Sempre na mesa

Inocêncio Oliveira acaba de conformar seu apelido na Câmara: "guardanapo", aquele que nunca sai da mesa.Foi eleito para a segunda secretaria da Mesa da Câmara, com 265 votos. É o seu sétimo mandato consecutivo na mesa, um total de 14 anos.

Lucia Hippolito


Tudo nos conformesTudo se passou conforme o script. Sarney venceu no Senado, e Temer venceu na Câmara. O PMDB fez barba, cabelo e bigode - bigode de Sarney.

Retrocesso


por Chico Bruno

Sarney de novoO velho lobo José Sarney foi eleito pela terceira vez presidente do Senado, uma sob FHC e duas sob Lula. Sarney recebeu 49 votos contra 32 conferidos a Tião Viana.

Em 1995, ele obteve 61 votos e em 2003, 76 votos.Agora, os 49 votos demonstram que pelo menos alguma coisa está mudando, mesmo que lentamente.Sarney foi candidato porque sua filha Roseana fez força para tal.

As razões que levaram Roseana a insistir na candidatura do pai, correndo o risco de uma derrota, são as derrotas do grupo no Maranhão e as investigações sobre os negócios de Fernando Sarney, a cabo da Polícia Federal.

Sarney ganhou pelo trabalho de Roseana, Renan e Argelo, mas muito mais pelos votos do PTB, de José Múcio e do PR, do ministro Alfredo Nascimento.


Veja de onde ele vem aqui.

Ucho.info


Papagaio de pirata

Em seu primeiro discurso como presidente do Senado Federal (2009-2010), o senador José Sarney (PMDB-AP) mostrou nervosismo. No plenário, atentos estavam os integrantes do bloco que no parlamento está sendo chamado no parlamento de "viúvas do Sarney". Todos, obviamente, à espera de um cargo na Câmara Alta.

Sarney vence

Com 49 votos, o senador José Sarney (PMDB-AP) é o novo presidente do Senado para o biênio 2009-2010. Seu adversário, o petista Tião Viana (AC), conquistou os votos de 32 senadores. A partir deste instante, os senadores começam a escolher os demais integrantes da Mesa Diretora da Câmara Alta.

Presidente novo

O senador José Sarney (PMDB-AP) é o novo presidente do Senado para o biênio 2009-2010.

Calculadora nas mãos

Aliados do senador José Sarney, que concorre à presidência do Senado, confidenciariam a este site que o maranhense, mas eleito pelo PMDB amapaense, terá entre 46 e 48 votos na votos. Para vencer a disputa, qualquer dos candidatos precisa no mínimo 41 votos, o que representa metade mais um dos 81 senadores. A sessão de votação já foi aberta pelo presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN).

Nervosismo explícito

Durante o discurso do senador Tião Viana (PT-AC), o maranhense José Sarney, que também disputa a presidência do Senado, mostrou nervosismo. Durante todo o tempo Sarney manteve a perna balançando. Viana, ao falar aos companheiros de parlamento, disse que a Casa teve gestões conturbadas. E nesse momento, o alagoano Renan Calheiros (PMDB), que presidiu a Casa sob o manto dos mais variados escândalos, corou a face e se ajeitou na confortável e macia cadeira do plenário do Senado.

Puro interesse

Quando matérias do interesse popular precisam ser votadas no plenário da Câmara e do Senado, políticos são convocados para o que o parlamento resolveu chamar de esforço concentrado. Nos últimos dias, deputados federais, senadores e políticos de todos os matizes dividiram o tempo em reuniões de bancadas, conchavos e rega-bofes políticos, apenas porque está o jogo o interesse de cada um dos supostos representantes do povo. Porém, causa estranheza o dinheiro torrado nessa campanha pela presidência do Senado e da Câmara dos Deputados, sem contar as promessas de cargos e favores mil em troca de alguns votos. Isso mostra que o que deveria uma Casa bicameral de representação popular não passa de um privado e suspeito clube de negócios.

Desculpa de ocasião

Em conversa com o ucho.info, um tucano de fina e reluzente plumagem identificou nova justificativa para que o PSDB decidisse apoiar a candidatura de Tião Viana (PT-AC) e não a de José Sarney (PMDB-AP), como estava sendo amplamente noticiado.

Teriam pesado considerações acerca do fortalecimento político do ex-presidente da República contra os governadores da Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB), e do Maranhão, Jackson Lago (PDT), ambos com os cargos na corda bamba por denúncias de compra de votos nas eleições de 2006.
Na Paraíba, o site WSCom noticiou como exclusiva a informação de que o compromisso de Sarney com seu colega de partido, o senador José Maranhão, era pressionar o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para cassar a limitar que ainda mantém Cunha Lima no cargo.

O governador paraibano foi cassado no TRE e no TSE. E nesta semana, o TSE deverá julgar o pedido de cassação do governador maranhense.

A filha de Sarney, a senadora Roseana é interessada direta no caso, pois poderá assumir o governo estadual com a cassação de Jackson Lago.

3 comentários:

Ricardo Santos disse...

O senado é um lugar de porra-loucas, apenas isso.

Mano B. Rock disse...

Mais um dia em que as sombras caem sobre o Brasil e principalmente o Maranhão! Até quando iremos conviver com esse ninho de serpentes?

Ricardo Santos disse...

Uma grande verdade nobre Mano!