quarta-feira, 14 de novembro de 2007

OPERAÇÃO NAVALHA

O jornalista Melquiades Filho da Folha de São Paulo faz uma interessante observação sobre a Operação Navalha e o STF.

"Há, claro, o risco do encanto com os holofotes.
Tome-se o caso da ministra do STJ que, atipicamente, fez questão de ouvir todos os depoimentos do escândalo da Navalha - rigor não observado quando ela assinou as prisões, que policiais e procuradores se esforçam até hoje para validar".

5 comentários:

SEU JOCA disse...

SANDICE DE CAFETEIRA OU AVISO DE SARNEY ?

O QUE ESTARIA POR TRAZ DA INICIATIVA DO SEN EPITÁCIO CAFETEIRA, HOJE SEGUIDOR FIEL DE SARNEY, QUANDO PEDE O AFASTAMENTO DO PTB DO GOVERNO LULA POR CAUSA DA SAIDA DO SEN MORAZILDO DA CCJ DO SENADO, CATAPULTADO PARA DAR LUGAR A SENADORA IDELI SALVATTI. SERIA A VELHICE DE CAFETEIRA QUE ESTARIA LHE AFETANDO OS MIOLOS OU ESTARIA ZÉ SARNEY DANDO UM RECADO VELADO AO PRESIDENTE LULA?

QUEM TRÁS A MATERIA, POSTADA NA INTEGRA AI EM BAIXO SEGUIDA DO LINK DE ACESSO É O BLOG DO JOSIAS DA FOLHA DE SÃO PAULO.


14/11/2007

Líder do PTB quer ‘repensar’ apoio ao governo Lula

O protogovernista Epitácio Cafeteira (MA), líder do PTB no Senado, enviou ao companheiro de bancada Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) uma carta de teor surpreendente. No texto, Cafeteira diz não ter sido consultado sobre a decisão que resultou na substituição de Mozarildo por Idelli Salvatti (PT-SC), na sessão em que a emenda da CPMF foi votada na comissão de Justiça do Senado.

Cafeteira anotou: “Tendo em vista esse lamentável fato, julgo ser este o momento ideal para que nós, membros da bancada do PTB no Senado, repensemos, serena e tranqüilamente, nossa participação no bloco de apoio ao governo.”

O líder do PTB foi além: “Entendo que nosso partido não está recebendo tratamento condizente com o seu tamanho [seis senadores], a sua representatividade e, principalmente, a sua grandeza nesta Casa [...]. Acredito, portanto, que, com o diálogo e com a contribuição de toda a bancada, possa agir com maior independência, atuando conforme nossas decisões internas e nossos compromissos e princípios partidários.”

A carta de Cafeteira a Mozarildo é datada de 13 de novembro. Nesse mesmo dia, o deputado-cassado Roberto Jefferson (RJ), presidente do PTB, expediu ofício convocando para o próximo dia 28 de novembro uma reunião da Executiva do partido. A pauta do encontro, conforme já noticiado aqui no blog, só tem dois itens:

1. Posicionamento e orientação da bancada no Senado sobre CPMF;

2. Apoio e desagravo ao senador Mozarildo Cavalcanti.

A pedido de Roberto Jefferson, o próprio Mozarildo convidou a senadora Kátia Abreu (DEM-TO) para fazer uma exposição aos membros da Executiva do PTB. A senadora é autora do relatório que pediu a extinção da CPMF, derrotado na comissão de Justiça do Senado. Ao convidar Kátia para debulhar o seu parecer diante dos dirigentes do PTB, Jefferson como que manda um recado ao Planalto.

Num instante em que o Planalto, submetido a contas apertadas, vai de senador em senador para aliciar votos em favor da CPMF, o recado de Jefferson não é coisa que possa ser negligenciada. Sobretudo depois de ter sido adensado pela surpreendente carta de Cafeteira.

O PTB integra no Senado o bloco de apoio ao governo, liderado pela petista Ideli Sanvatti (SC). Foi de Ideli a decisão de afastar Mozarildo, contrário ao imposto do cheque, da CCJ. Substituiu-o pessoalmente. “Caso tivesse sido consultado sobre esse assunto, seria prontamente contrário à decisão tomada”, escreve Cafeteira em sua correspondência. Curiosamente, Cafeteira participou, ele próprio, da votação da CPMF na comissão de Justiiça. Votou contra o relatório de Kátia Abreu e a favor do texto alternativo, de Romero Jucá (PMDB-RR).

“Entendo que, desde que fui escolhido por meus pares para exercer a honrosa liderança do PTB nesta Casa, todas as deliberações de interesse do partido têm sido pautadas pelo consenso e pelo diálogo com todos os membros da bancada, dentro do espírito democrático”, anota ainda Cafeteira.

É mais um incêndio que Walfrido dos Mares Guia, coordenador político de Lula, terá de administrar. O ministro, a propósito, é filiado ao PTB. Desde o estouro do escândalo do mensalão, em 2005, Walfrido vem medindo forças com Roberto Jefferson.

http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/arch2007-11-11_2007-11-17.html#2007_11-14_19_48_02-10045644-0

SEU JOCA disse...

APESAR DE AFASTADO, SILAS "RODOU" CONTINUA RECEBENDO DINHEIRO PARA REPRESENTAR O GOVERNO FEDERAL. A NOTA É DO JORNALISTA CLAUDIO HUMBERTO. JÁ IMAGINARAM O CARNAVAL QUE A MENTIRANTE FARIA SE FOSSE AGUÉM LIGADO AO ATUAL OU AO EX-GOVERNADOR, MAS COMO É DELES....


15/11/2007 | 0:00


Boca rica do ex-ministro Silas
O ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau, cortado pela Operação Navalha, da Polícia Federal, representa o governo federal em conselhos de administração de ricas estatais, como Itaipu e Petrobras. O repórter Marcelo Freitas, da rádio BandNews FM Brasília, apurou que ele embolsou R$ 85 mil em jetons desde que deixou o cargo, em maio. Com essas boquinhas, ganha em média R$ 11.214 por mês. O salário de ministro é de R$ 10.748.

www.claudiohumberto.com.br

Anônimo disse...

É O QUE DIGO SEMPRE. SARNEY ANDA TÃO DESMORALIZADO, QUE ATUALMENTE JÁ SE DIVULGA QUALQUER COISA QUE TENHA RELAÇÃO COM SUA FIGURA.

zé ruella disse...

UFA!!! FINALMENTE ESTAMOS CONSEGUINDO ACABAR COM A EX-OLIGARQUIA CAQUÉTICA DE SARNEY E SEUS MORCEGOS HEMATÓFAGOS.

chicco soccó disse...

essas armações do sarney estão pra lá de manjadas, sempre que quer chantagiar alguém usa um de seus porta-vozes, como o octagenário senador cafeteira. lula já foi chantageado em timon e foi obrrigado a enfrentar um calor de 40 graus, levantar contra sua vontade o braço de roseana e gritar feito im louco"por favor, quem votar em mim, vote também na roseánia(assim mesmo).