quinta-feira, 1 de novembro de 2007

CAPITÃO NASCIMENTO HERÓI OU CRIMINOSO?

O filme "Tropa de Elite" tem gerado uma polêmica bastante salutar sobre a segurança pública em nosso país. Entre elas se afinal Capitão Nascimento é herói ou criminoso. Esta semana o repórter Caco Barcelos, autor do livro Rota 66 fala sobre o filme.

Na entrevista ele questiona o fato do Bope agir apenas na zona pobre e não sobre ricos corruptos. "Por que é legítimo agir com brutalidade em uma parte da cidade, não por coincidência onde estão os mais pobres, e não agir da mesma forma onde estão os ricos", questiona ele.


Ele levanta ainda a necessidade de se discutir a legalização da drogas. Veja aqui:

2 comentários:

Anônimo disse...

Rapá deixa de besteira, bandido é quem financias a violencia, ou seja os plyboys maconheiros que deixam a sujeira para o BOPE limpar...Tem que matar esses assassinos desses traficantes!!

José disse...

No Brasil, os ladrões endinheirados, os políticos que assaltam os cofres públicos, os traficantes e mafiosos dos jogos eletrônicos têm a polícia e o Judiciário de mãos atadas a preço de ouro. Eis a razão de estarem todos livres dos rigores da lei. O pobre é perseguido, caçado que nem bicho feroz, executado e quando não, condenado. Pobre não tem dinheiro para corromper nem juiz, nem desembargador e nem tropa de elite da polícia, por isso é perseguido. O Bope cumpre o seu papel enquanto parte integrante do aparelho do Estado, seu setor armado, instituido e organizado com o fito de assegurar o domínio das classes que o Estado representa. Em "Escritos de Carlos Marighella" aprendemos que as forças militares têm uma função repressiva, conservadora, sendo este o seu conteúdo de classe.