sexta-feira, 16 de novembro de 2007

BOCA RICA DO EX-MINISTRO SILAS

O ex-ministro de Minas e Energia Silas Rondeau, cortado pela Operação Navalha, da Polícia Federal, representa o governo federal em conselhos de administração de ricas estatais, como Itaipu e Petrobras.

O repórter Marcelo Freitas, da rádio BandNews FM Brasília, apurou que ele embolsou R$ 85 mil em jetons desde que deixou o cargo, em maio. Com essas boquinhas, ganha em média R$ 11.214 por mês.


O salário de ministro é de R$ 10.748.
A boquinha livre foi divulgada pelo colunista Cláudio Humberto. Imagine se fosse do lado contrário, o estardalhaço que o Sistema Sarney de comunicação estaria fazendo. (agradecimento ao Seu Joca).

7 comentários:

Anônimo disse...

E a privatizãção da CEMAR, hein? No blog do Luis Nassif tem muita coisa interessante sobre o assunto, do qual recortei só o trechinho abaixo:
O blog do Luis Nassif está disponível no site www.ig.com.br, canal Eu na Web, Blogs do Ig,Luis Nassif, Temas Economia

A operação que Pinguelli não explicou


Do "Valor" de hoje:

"Para a GP, a Equatorial foi um dos casos de maior retorno de seu portfólio. A gestora investiu R$ 30 milhões na Cemar três anos e meio atrás e embolsou no total R$ 493 milhões entre a primeira venda de uma fatia para o PCP no ano passado, a abertura de capital e a operação fechada ontem. "Foi um retorno excepcional", diz Octavio Lopes, sócio da GP".

Em abril de 2004 escrevi um conjunto de artigos mostrando o escândalo que estava sendo a transferência de mão beijada da Cemar (Centrais Elétricas do Maranhão) para a GP Investimentos, em pleno governo Lula. Não houve licitação. A condição era o mero equacionamento das dívidas da empresa com a Eletrobrás. Tudo foi possível devido ao fato do então presidente dda Eletrobrás, Luiz Pinguelli Rosa, ter aceitado a proposta da GP de renegociação das dívidas sem sequer se dispor a analisar outras propostas na mesa.

Amanhã voltarei ao tema.



enviada por Luis Nassif
( comentar ) | ( 20 comentários ) | ( envie esta mensagem ) | ( link do post )

SEU JOCA disse...

TAÍ A MATÉRIA COMPLETA SOBRE A CEMAR POSTADA NO BLOG DO NASSIF, NO FINAL O LINK DE ACESSO.


13/11/07 07:00

O milagre da multiplicação na Cemar


Coluna Econômica - 13/11/2007

Na semana passada, a GP Investimentos informou que a Equatorial foi um dos casos de maior retorno de seu portfólio. A GP investiu R$ 30 milhões na Cemar (Companhia Energética do Maranhão) três anos e meio atrás. E vendeu por R$ 493 milhões.

Milagre? Visão extraordinária? Um pouquinho mais que isso. Era uma história com final totalmente previsível.

***

A Cemar foi privatizada em 2000, vendida para a norte-americana PPL Global. Depois de muito prejuízo o grupo abandonou a empresa, que ficou sob intervenção da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). A empresa estava com R$ 800 milhões em dívidas, 80% das quais vencidas. A PPL se dispunha a transferir o controle por R$ 1.

A maior parte da dívida era com a Eletrobrás: R$ 260 milhões, mais R$ 100 mi de venda de energia pela Eletronorte. Para se habilitar à compra da empresa, os concorrentes teriam que apresentar carta da Eletrobrás concordando com a proposta de renegociação da dívida.

Após a fase de pré-licitação, restaram dois grupos, o SVM e o Mt. Baker, fundo norte-americano, que foi desclassificado por não ter cumprido um conjunto de requisitos burocráticos - como a não-apresentação de certidão negativa de falência ou falta de histórico no setor.

Como escrevi em 20/04/2004, “na véspera do final do prazo, a Mt. Baker melhorou ainda mais as condições. Dispunha-se a pagar metade à vista, e o restante, em 12 anos, com 10% de juros ao ano mais IGP-M. Foi preterido pela SVM, que propôs à Eletrobrás capitalizar R$ 50 milhões e pagar o restante em até 20 anos, parte substancial a taxas de juros de 4% ao ano, com três anos de carência”.

O GP levou a empresa de graça, graças à sua escolha pela Eletrobrás.

***

O mais grave da história é que, em pouco tempo de intervenção, a Aneel havia eliminado com os prejuízos operacionais. Na época, o balanço fechado mostrava um Ebitda sustentado (lucro antes do pagamento de juros e tributos) da ordem de R$ 120 milhões/ano. A empresa tinha R$ 80 milhões em caixa. Dizia eu, no dia 27/04/2004: “O Ebitda potencial é de R$ 100 milhões/ano. Com R$ 50 milhões/ano de investimento, R$ 30 milhões/ ano de pagamento da dívida, os acionistas podem receber R$ 20 milhões/ ano, com pouquíssimo esforço adicional. Mais: as perdas de energia da empresa estão na faixa de 20%. Exige-se investimento de R$ 4 milhões para cada ponto percentual de redução da dívida -que proporciona uma economia anual de R$ 6 milhões. Ou seja, com R$ 40 milhões de investimento, a empresa passa a gerar mais R$ 60 milhões/ano de Ebitda”.

“Se o próprio governo completasse o processo de reestruturação, fechasse a reestruturação da dívida com a Eletrobrás e os bancos, antes de vender a empresa, todo o ganho da reestruturação seria apropriado pelo setor público. Não se fez, não se sabe por quê. Não se divulgam os termos do acordo firmado com a SVM e o acordo do concorrente que foi afastado. E o país nem sequer sabe o nome dos novos controladores da Cemar.”

Até hoje, não há respostas, apenas desconfianças.


http://www.projetobr.com.br/web/blog/6#4911

RIBA JAM disse...

Ainda bem que LULA mandou cacete nesse cara e foi logo pra fora do Ministerio. RA RE RI RO RUA!

Anônimo disse...

é mas sarney é capaz de vender a própria alma para reconduzi-lo ao ministério. por que será hem!???

zé perequeté disse...

o telhado de vidro que o coroné amapaense tentou proteger por 40 anos anos começa a ser apedrejado e se quebrar todo. não um único dia agora que não seja vistpo na grande imprensa algum tipo de denúncia ou maracutaia envolvendo o nome do "estadista" pai da "musa"

soccó pimba disse...

SÃO ESSAS PESSOAS DA FAMÍLIA SARNEY QUE SUAS 'VIUVINHAS DESVAIRADAS" QUEREM A TODO CUSTO DESENTERRAR E COLOCAR DE VOLTA NO CENTRO DO PODER NO MARANHÃO. ENTÃO TÁ! VÃO CONTINUAR QUERENDO.

herbet pinheiro disse...

ma minha gente, se o silas rodou não voltar para o ministério de minas e energia para quem sarney vai vender aquele ouro de tolo que tá enterrado em santo amaro, onde ele é dono de metade das terras????