quinta-feira, 25 de outubro de 2007

ROSEANA É O MESMO QUE DINHEIRO

Pelo menos é o que parece ser o conceito do renomado jornalista Ricardo Noblat sobre a senadora Roseana Sarney(PMDB-MA).

Em nota veiculada ontem, em que narra um constrangedor bate-boca entre o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), e os ministros Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais) e Nelson Jobim (Defesa) durante festa promovida pelo senador Demóstenes Torres (DEM-GO), Ricardo Noblat cita Roseana substituindo seu nome por um belo símbolo de cifrão.

Diz ele, em certa altura da nota, a líder do governo no Congresso, senadora $Sarney(PMDB-MA), sem perceber confusão que começava entrou na roda..."
Será que Roseana e sua sede por dinheiro está tão evidente assim, a ponto de jornalistas agora julgarem mais adequado substituir até seu primeiro nome pelo simbolozinho????!!!!

Ministros xingam Rodrigo Maia. Veja aqui:

4 comentários:

SEU JOCA disse...

LOBÃO SEGUE AMEAÇADO DE PERDER MANDATO

A SITUAÇÃO DE LOBÃO E MAIS TRÊS SENADORES AINDA É DIFÍCIL MESMO COM A DESIÇÃO DO TSE, ISTO PORQUE O DEM JÁ AVISOU QUE VAI A JUSTIÇA PARA FAZER PREVALECER SEU ESTATUTO QUE PREVÊ PERDA DE MANDADO AOS INFIÉIS, QUEM NOS TRÁS A NOTÍCIA É O BLOG DO NOBLAT.

"Enviado por Ricardo Noblat - 26.10.2007| 13h59m
Está na berlinda o mandato de três senadores infiéis

Sujou para os senadores Edison Lobão (MA), Romeu Tuma (SP) e César Borges (BA). Eleitos no ano passado pelo PFL, que agora se chama Democrata (DEM), eles foram para o PMDB, PTB e PR, respectivamente.

Tudo bem. Poderão dizer que trocaram de partido antes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ter decidido, ontem, que ficará sujeito à perda de mandato o ocupante de cargo majoritário (presidente da República, senador, governador e prefeito) que cometeu infidelidade partidária depois do dia 16 deste mês.

Ocorre, porém, que o artigo 98 do estatuto do DEM prevê que "o filiado eleito pela legenda que venha a se desligar do partido no curso do mandato --ou punido com cancelamento de filiação partidária-- perderá automaticamente o mandato para o qual foi eleito".

E os três senadores infiéis ajudaram com seus votos a aprovar o estatuto. E assinaram embaixo dele. Sabiam, portanto, que poderiam ser punidos com a perda de mandato.

A direção do DEM quer o mandato deles de volta. E pedirá isso ao TSE.

Esta manhã, em entrevista à rádio Jovem Pan, o ministro Marco Aurélio Mello, presidente do TSE, respondeu assim à pergunta sobre se os partidos já podem entrar com processos ali contra eventuais infiéis:

– Sim, já terão esse instrumento, que é o processo para declaração da perda do cargo. Surge no Senado uma questão que será ainda solucionada. É que o DEM, o antigo PFL, tem no estatuto que a saída do parlamentar implica a perda do mandato. Aí, fatalmente nós teríamos a controvérsia contra os senadores Romeu Tuma, Edison Lobão e César Borges. Precisamos aguardar o pronunciamento do Tribunal. Quando o Tribunal fixou a data 16 de outubro como a data limite para o troca-troca, ele o fez para que não houvesse surpresas. Indaga-se se o próprio Estatuto do partido já previa a perda do mandato. Nós poderíamos cogitar surpresas quanto àqueles que deixaram o partido. Essa questão baterá fatalmente no TSE. Eu creio que o partido fatalmente entrará com o pedido de decretação da perda dos mandatos."

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/post.asp?cod_Post=78518&a=111

SEU JOCA disse...

COMPLICA-SE A SITUAÇÃO DE LOBÃO

RODRIGO MAIA, PRESIDENTE DO DEM, CONFIRMA AO TERRA QUE IRÁ A JUSTIÇA POR MADATOS DE INFIÉIS.

Sexta, 26 de outubro de 2007, 15h15
Senado: Democratas vai à Justiça para reaver vagas

O presidente do Democratas, deputado Rodrigo Maia (RJ), avisou nesta sexta-feira que a legenda irá cobrar na Justiça o mandato de três senadores que deixaram o partido após serem eleitos. Caso os argumentos sejam aceitos, Romeu Tuma (PTB-SP), Edison Lobão (PMDB-MA) e César Borges (PR-BA), que deixaram a legenda neste ano, podem perder os mandatos.

Na quinta-feira, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estabeleceu regras para eleitos para cargos majoritários que mudarem de partido. Podem perder o mandato senadores, governadores e prefeitos que mudarem de partido a partir de 16 de outubro.

Na prática, a decisão não atinge nenhum senador, já que não houve trocas de legenda após essa data. Um dos artigos do estatuto do Democratas, aprovado em 28 de março, porém, diz que "o filiado que, eleito pela legenda, venha a se desligar do partido no curso do mandato ou punido com cancelamento de filiação partidária, perderá automaticamente o mandato para o qual foi eleito".

Além do estatuto, o pedido do Democratas citará o artigo 17 da Constituição Federal que determina que "é assegurada aos partidos políticos autonomia para definir sua estrutura interna, organização e funcionamento, devendo seus estatutos estabelecer normas de fidelidade e disciplina partidária".

Redação Terra

http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI2025137-EI7896,00.html

Anônimo disse...

e penar que essa moça nunca trabalhou, dizem até que ela e os irmãos nunca posuiram carteira de trabalho, pois nunca precisaram de tal documento.

Mano B. Rock disse...

Nada mais justo! Se Luís Inácio adotou o "Lula" no seu nome, a Senadora Hello Kitty, quero dizer, boieira, ou melhor, Rosengana, desculpem, Roseana, tem todo direito de incluir o $ no seu nome. Ficaria: Ro$eana $$arney! O mestre das artes místicas e numerólogo Bita aprovaria com certeza!