sexta-feira, 26 de outubro de 2007

PRESIDENTE DO TRE-AP REÚNE-SE COM O PRESIDENTE DO TSE

O TRE-AP julgou improcedente a ação que pede a cassação de Sarney por crime eleitoral. Após a negativa, Joel Cilião, candidato a vice-governador pelo PRP derrotado, entrou com a mesma ação no TSE. O assunto foi divulgado no último dia 17 de outubro.

Não se sabe a pauta, mas a agenda do presidente do TSE ontem incluía uma audiência às 18:15h com o presidente do TRE-AP, desembargador Carmo Antonio de Souza. Será que trataram da cassação? Do contrário, certamente falaram do Projeto Eleitor do Futuro.

Por informação de um dos relises publicados no site do TSE, por meio do Programa, em dois dias, a Justiça Eleitoral do Amapá estaria na Escola Estadual Tiradentes expedindo 880 títulos eleitorais de alunos que irão completar 16 anos até o dia da eleição, e aos que já tem 16, 17 e 18 anos.

Uma corrida desenfreada por eleitores. Será que o projeto tem como padrinho, José Sarney???

8 comentários:

Anônimo disse...

Ricardo,

O Décio Sá já voltou a pegar no batente, no TCE. Mas isso não basta. Temos de botar os parentes de Conselheiros e de Auditores (substitutos de Conselheiro)pra fora. Sim. Pois, não dá mais pra ficar vendo esses caras cobrarem reiteradamente, nos votos deles, que a despesa pública deve obedecer não só ao princípio da legalidade, mas aos da legitimidade e da moralidade, e viverem com os respectivos gabinetes cheios de parentes, só coçando o saco ou a perereca, dependendo do caso.

pinheiro disse...

esse encontro do presidente do TRE-AP com o presidente do TSE, deve ser armação de sarney pra livrar a pele da chicotada que tomaria da justiça eleitoral por conta de suas falctruas.

SEU JOCA disse...

REVISTA CARTA CAPITAL DETONA SARNEY E SILAS "RODOU"

A Revista Carta Capital, cuja capa é a logo marca da globo, traz ampla matéria de 05 páginas, disponivel apenas na edição impressa onde demonstra graves irregularidades no luz para todos envolvendo a familia Sarney e Silas Rondeu. A revista informa que o TCU está investigando o programa luz para todos, a Cemar, resposavel pelo programa e a familia Sarney. A revista informa que as investigações começaram por causa da operação navalha, donde se conlui que o feitiço virou contra o feiticeiro. A matéria sobre Sarney, Silas e companhia é tão bombástica que ganhou inclusive chamada na capa da revista. NITROGLICERINA PURA !

SEU JOCA disse...

TAÍ O LINK COM A IMAGEM DA CAPA DA REVISTA ONDE SE PODE VER A CHAMADA DA MATÉRIA COM O SEGUINTE TÍTULO: SARNEY: DENUNCIAS DE MANIPULAÇÃO NO LUZ PARA TODOS.

http://www.cartacapital.com.br/edicoes/468/image/image

SEU JOCA disse...

JORNAL PEQUENO TRAZ PARTE DA MATÉRIA DA REVISTA CARTA CAPITAL

Denúncias contra Silas Rondeau poderão complicar José Sarney

Revista CartaCapital adverte

TCU analisa indícios de fraude no programa Luz Para Todos, no MA

Ao deflagrar a Operação Navalha, em maio, a Polícia Federal tinha como objetivo desarticular um esquema de pagamentos de propinas e fraudes em licitações federais, montado pela quadrilha chefiada pelo empreiteiro baiano Zuleido Veras, da Gautama. Ao acaso, atingiu em cheio uma turma maranhense encastelada no setor elétrico nacional, a começar pelo então ministro de Minas e Energia Silas Rondeau.

Acusado de receber R$ 100 mil de suborno, Rondeau saiu a jato do cargo, apesar de, até agora, nenhuma prova ter sido apresentada contra ele. A volta ao ministério não está fora de cogitação. Seria um retorno triunfal, mas não somente dele. A reabilitação de Rondeau tenderia a se tornar uma vitória pessoal e, provavelmente, a tábua de salvação do senador José Sarney (PMDB-AP).

Em franca decadência política no Maranhão, segundo estado mais miserável do País, a família Sarney perdeu o controle paroquial quando, em 2006, Roseana foi derrotada por Jackson Lago (PDT) na eleição ao governo local. Além disso, candidato pelo Amapá, Sarney correu sérios riscos de não se reeleger por causa do crescimento da candidata Cristina Almeida, do PSB.

Superfaturamento - Silas Rondeau, que teve uma carreira alavancada por um eixo só: a família Sarney, foi acusado pela Polícia Federal de ter encoberto o superfaturamento de R$ 2 milhões em uma obra do Luz Para Todos no Piauí. Rondeau teria recebido R$ 100 mil de propina da empreiteira baiana Gautama. Para embasar a denúncia, os federais divulgaram um vídeo no qual uma funcionária da construtora, Fátima Palmeira, entra no elevador privativo do Ministério de Minas e Energia, supostamente para efetuar o pagamento de Rondeau. Um laudo privado do perito Ricardo Molina, da Unicamp, contrariou a versão da PF pra as imagens, obtidas pelo circuito interno do ministério, e deu asas ao plano de recondução do ex-ministro ao cargo, ainda neste ano.

Instalada a crise, Sarney ordenou a Rondeau sair de imediato do governo. O estrago, no entanto, estava feito. Preso nas primeiras horas da Operação Navalha, um assessor direto de Rondeau, Ivo Costa, revelou em depoimento à PF que o dono da Gautama, Zuleido Veras, tinha se encontrado com o ex-ministro, ao menos uma vez, para “tratar de empreendimentos na área de participação do Luz Para Todos”.

Ao depor na Polícia Federal, Rondeau negou conhecer o empreiteiro baiano. Ato contínuo, o diretor nacional do PLTP, o também maranhense José Ribamar Lobato Santana, pediu demissão, também atingido pelas denúncias da Operação Navalha. Saiu sem dar explicações plausíveis e, como Rondeau, por ordem de Sarney.

Explica-se: além de braço operacional do Luz Para Todos dentro do governo, Santana também ocupava a presidência do conselho de administração da Cepisa, distribuidora de energia do Piauí envolvida nos desvios de recursos apontados pela Polícia Federal. Segundo o relatório da PF, o superfaturamento teria contado com a participação do diretor do PLPT.

Fraudes - Zuleido Veras também teria se encontrado com Santana em Brasília, para obter o repasse de recursos do ministério para a Eletrobrás, a serem enviados, por meio de convênio, para a Cepisa. Daí, o dinheiro seguiria para a Gautama, por contratos firmados mediante fraude no processo de licitação. No Maranhão, a família Sarney começou a se preocupar.

Restou ao grupo somente o terceiro elo da trinca maranhense colocada no PLPT pelo clã, Luiz Adriel Vieira Neto, atual coordenador do programa no Maranhão. Ele preside também o Comitê Gestor Estadual do Luz Para Todos. Luiz Adriel é oriundo da Cepisa, onde ocupava o cargo de diretor-técnico. Nomeado por Rondeau e Santana, em 2005, ele havia sido demitido, meses antes de assumir o cargo, em meio a um escândalo de desvio de dinheiro na companhia de eletricidade do Piauí.

Por essa razão, e Sarney sabe disso, tornou-se uma peça muito frágil para um tabuleiro onde se jogam interesses tão grandes. Literalmente, sem pai (Rondeau) nem mãe (Santana) na burocracia federal, Luiz Adriel enfrenta, agora, uma investigação do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre a aplicação de recursos do PLPT no Maranhão.

O TCU analisa indícios de fraude no sistema de eletrificação do Estado, uma vez que há mais ligações de energia feitas do que cidadãos para usá-las. Informados pelo Sindicato dos Urbanitários, o TCU, o Ministério Público Federal e a Polícia Federal têm agora um prato feito para investigar o mistério das ligações fraudulentas do Luz Para Todos no Maranhão. (Texto resumido da reportagem assinada por Leandro Fortes, na revista CartaCapital).

http://www.jornalpequeno.com.br/2007/10/29/Pagina66723.htm

Casagrande e Senzala disse...

Sobre o comentário do anônimo, falando sobre a parentada de Conselheiros e Auditores encastelada nos respectivos gabinetes do TCE-MA, tenho a comentar que é difícil para um brasileiro lutador, que veio do interior, batalhou, estudou e conseguiu obter sucesso num cargo público, ver que para alguns BASTA ser parente de alguém ou conhecer alguém importante, para conseguir emprego num órgão público e ganhando muito mais do que aquele coitado que se esbaldou estudando horas a fio. Isso é revoltante, é injusto. Até quando vamos ter que aguentar essa forma de organização arcaica herdada dos tempos monárquicos? E o pior é que não é só nos gabinetes que há essa pouca vergonha, pois há apadrinhados no Setor de Recursos Humanos, e pasmem! até no setor de análise de prestação de contas, onde recentemente foram admitidos parentes do nosso querido Presidente.

Casagrande e Senzala disse...

Sobre o comentário do anônimo, falando sobre a parentada de Conselheiros e Auditores encastelada nos respectivos gabinetes do TCE-MA, tenho a comentar que é difícil para um brasileiro lutador, que veio do interior, batalhou, estudou e conseguiu obter sucesso num cargo público, ver que para alguns BASTA ser parente de alguém ou conhecer alguém importante, para conseguir emprego num órgão público e ganhando muito mais do que aquele coitado que se esbaldou estudando horas a fio. Isso é revoltante, é injusto. Até quando vamos ter que aguentar essa forma de organização arcaica herdada dos tempos monárquicos? E o pior é que não é só nos gabinetes que há essa pouca vergonha, pois há apadrinhados no Setor de Recursos Humanos, e pasmem! até no setor de análise de prestação de contas, onde recentemente foram admitidos parentes do nosso querido Presidente.

Mano B. Rock disse...

Como sempre a raposa velha vai dando seus pulos pra escapar ileso dos processos! Pode ter uma caminhão de provas, mas os tribunais fazem vistas grossas!